Make your own free website on Tripod.com
 
 A História de Corpus Christi em Piquerobi
 
  Foto de Bruno Fernandes Goulart - 2005
 
Prezados amigos Piquerobienses: 

Fazendo pesquisas na internet  sobre a cidade de Piquerobi achei estes escritos feitos por Camila Ferreira da Silva a respeito da origem da  festa de Corpus Christi nesta cidade e sua origem histórica, que aqui transcrevo e que está no endereço abaixo. 

http://www.educarede.org.br/educa/galeria_de_arte/galeria.cfm?pagina=detalhe_texto&id_galeria=358&id_arte=26
 Luiz Netto
 
A História de Corpus Christi em Piquerobi
Camila Ferreira da Silva
EE. Maria Aparecida Queiroz Casari
Piquerobi - SP
30/06/2005
 
Tudo começou com uma idéia de um grupo de jovens que resolveram enfeitar as ruas para comemoração do dia de Corpus Christi. Esta festa seria uma festa católica com ajuda financeira da prefeitura.

A ornamentação começou sendo feita "com as mãos" por todos  aqueles católicos que se comprometeram em ajudar e principalmente com toda população piquerobiense.

Esses jovens resolveram pedir à população para ajudarem dando alguns materiais que eram usados no ano de 1968 e 1969, como por exemplo: pó de café, casca de ovo, tampa de garrafa, ramos, areia, pétalas de flores, dentre outros.

Com o passar dos anos, a festa começou à ficar mais popular e envolvente para todos.

No de 1970, começou a utilização de formas enfeitando então as ruas, com serragem e pó de serra, que seguiu até o ano de 1975. A partir desse ano foram incrementando outros tipos de materias como isopores e etc. Esta festa prolonga-se assim até nos dias de hoje, mas  somente no ano de 1990 foi feita uma divisão de grupos e entidades que ficariam responsáveis por cada parte da rua onde o padre estaria passando durante a procissão.

Neste ano de 2005, foram utilizados 30 mil quilos de granilha e 2 mil bisnagas para o tingimento dos mesmos.

Esta festa tornou-se referência turística para nós piquerobienses, onde toda região nos visita neste dia. Todos os anos são esperados por volta de quatro mil pessoas vindas de todos os lugares.

Além de estar mostrando toda a beleza da festa católica também temos um crescimento econômico durante este dia, onde os comércios alimentícios, artesanais e etc... são expostos a venda em um determinado espaço que foi cedido para todos os comerciantes.

A festa de Corpus Christi, começa de madrugada com os enfeites das ruas, tem a Santa Missa no fim da tarde e a noite termina com um grande show pirotécnico para o encerramento dessa linda festa.

Talvez o maior bem dessa comemoração não seja as ruas enfeitadas, os fogos de artifícios ou o comércio. O maior bem dessa festa é o povo. Um povo lutador, participativo, sofrido mas acima de tudo, feliz.
 

<--------ooo000ooo------>
 
Histórico da festa de Corpus Christi
Camila Ferreira da Silva
EE. Maria Aparecida Queiroz Casari
Piquerobi - SP
16/06/2005
 

A celebração da Eucaristia sempre existiu na Igreja Católica desde os tempos primitivos como nos atesta em (At. 2,42-43). Eles permaneciam constantes no ensino dos Apóstolos, na comunhão fraterna, na cerimônia do partir do pão e na oração. O temor se apodera de todos. Numerosos prodígios e milagres eram realizados pelos Apóstolos.

A origem desta festa que se celebra na quinta-feira posterior à Festa da Santíssima Trindade deve ser vista em conexão com a devoção do Santíssimo Sacramento que desabrochou poderosamente ao longo do século XII e na qual se realçava de maneira particular a presença real do "Cristo Todo" no pão consagrado.

A este movimento eucarístico estava ligado um grande de contemplar as coisas por parte do homem da Idade Média, desejo esse que levou entre outras coisas ao costume de elevar a hóstia depois da consagração, atestado pela primeira vez em Paris, no ano de 1200. Em meio a esta situação a visão religiosa agostiniana "Juliana Lie'ge" no ano de 1209 e repetida posteriormente, de um grande estimulo à introdução do Santíssimo Sacramento.

No ano de 1246 o bispo Roberto de Lie'ge, introduziu esta festa, pela primeira vez em sua Diocese. No ano de 1264, o papa Urbano IV, prescreveu-a  para a todo a Igreja. Na Bula de Introdução " Transiturus" fundamenta ele a instituição da festa e faz uma exposição global da doutrina eucarística enquanto o sacrifício e refeição fundamentada-se na Sagrada Escritura.

 
Retornar à página anterior